quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

more dream than reality

Meio sonho, não sei porque.
Nem em sonho chegou a acontecer.
Você pensava que eu almejava outro horizonte, por isso deixou eu seguir o meu rumo sem pesar.
A despedida: um beijo incompleto.
Um carinho afagado.
Desejos mascarados.
A sensação se dissipou da nuca para o meu corpo todo, fecho os olhos e posso sentir agora seu beijo inacabado, além de meia dúzia de palavras tristes que me escolheram.
Eu parecia não ver nada. Somente lhe via.
Minha nuca era tomada por você.
Eu somente sentia a sua pele e o sussurrar ao pé do meu ouvido.
Quando então nos beijaríamos, você comete um engano e comenta sobre o meu outro horizonte. O meu mundo cai.
Meus olhos se viram para você e se ofuscam por lágrimas, você as bebe dolorosamente e diz que vai ser melhor assim. Você disse que sabia que eu amava o outro horizonte e nada poderia mudar isso, disse que eu teria que admitir isso.
Permanecemos imóveis.
Permanecemos em silêncio.
Eu só ouvia a sua respiração e não queria me livrar dela. Até isso me fazia bem em você, a sua respiração.
Quando você finalmente quebraria o silêncio, eu fiz que não com a mão e você assentiu.
Então eu lhe disse que já não precisavas mentir se amasse outrem, eu teria que entender, mas não digas que o outro horizonte é melhor para mim enquanto eu ainda lhe amar.
Vi lágrimas em seu olhar, mas nada pude fazer.
Foi você que escolheu assim, e eu só quero que saiba que eu te amo.
Ambos carregaram lágrimas em seus olhos, abaixaram a cabeça e simplesmente caminharam a lados opostos.
Cada um seguindo seu horizonte, mesmo que estivesse alguém ferido por guerra.

Por: Anne Caroline

2 comentários:

  1. Adorei o texto, muito profundo.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. obrigada de coração, gosto quando apreciam o que eu escrevo.

    ResponderExcluir

Obrigada!